G.R.E.S Unidos do Viradouro

A fundação da Viradouro foi ideia de Nelson dos Santos, conhecido como Nelson Jangada.[5][17] O sambista morava na Rua Capitão Roseira, no Viradouro, e promovia rodas de samba e batucada no quintal de sua casa.[13][2] Apaixonado por samba e carnaval, Jangada frequentava o bloco União do Viradouro. Após se desentender com dirigentes da agremiação, o sambista resolveu se desligar e fundar uma escola de samba.[17] Para isso, reuniu amigos e foliões da região, além de jogadores e torcedores de um time de futebol da localidade.[5] A Unidos do Viradouro foi fundada em 24 de junho de 1946 por Nelson Jangada, Nelson Braga, Roque Soares, Paulo Braga, Juci, Ataíde, Ercília Guedes, Maria Ana, Oto Braga, Telinho, Lindolfo dos Santos, Otacílio Nascimento, Ito Machado Villaça Guedes, entre outros.[5][17][3]

Nome, símbolo, cores, padroeiros e escola-madrinha
A Unidos do Viradouro tem seu nome em referência ao seu lugar de origem.[4] São símbolos da agremiação uma coroa com ramos de folhas ao lado; e um aperto de mãos interracial, simbolizando a união de seus componentes.[6][18] A Viradouro foi fundada com as cores azul e rosa, inspiradas na vestimenta de Nossa Senhora Auxiliadora, a padroeira da escola.[4] Perto de onde a agremiação foi fundada, no bairro de Santa Rosa, está erguida a Basílica de Nossa Senhora Auxiliadora.[19] Por este motivo, a santa foi escolhida para apadrinhar a escola.[4] A Viradouro foi fundada no dia de São João Batista, padroeiro da cidade de Niterói.[20] Por isso, o santo também foi escolhido para ser o padroeiro da agremiação.[4]

A Portela é a escola-madrinha da Unidos do Viradouro. Natal da Portela e a comitiva portelense foram batizar a escola de samba de Niterói ainda em sua primeira quadra, na Garganta. A Velha Guarda da Viradouro também é batizada pela Velha Guarda da Portela.[4][5]

Troca de cores

Em seus primórdios, as escolas de samba utilizavam majoritariamente fantasias e adereços nas cores da própria agremiação. A Fábrica Matarazzo, de São Paulo, fabricava tecidos em cetim na tonalidade usada pela Viradouro. Com o fechamento da fábrica, a escola teve que recorrer a fornecedores diferentes e começou a ter dificuldades para encontrar quantidade suficiente de tecidos na mesma tonalidade para seus desfiles. Naquela época, havia respeito às cores originais da escola e os adversários chegaram a acusar a Viradouro de desfilar com roupas e alegorias reaproveitadas de anos anteriores. Sentindo que as notas dos jurados começavam a refletir esse pensamento, a diretoria da escola decidiu, após o carnaval de 1970, trocar as cores azul e rosa. A partir de 1971, a Unidos do Viradouro adotou as cores vermelho e branco. No mesmo ano, voltou a vencer o campeonato de Niterói.[6][4][5]

Bandeira
A bandeira da escola tem forma retangular. A versão utilizada desde que a Viradouro passou a disputar o carnaval carioca, possui 16 raios de cores intercaladas (oito brancos e oito vermelhos) partindo do centro do pavilhão em direção às extremidades, em formação similar à siemens star. No centro da bandeira, há duas circunferências concêntricas. Na circunferência maior, encontra-se a inscrição “G.R.E.S.” (na parte superior) e “UNIDOS DO VIRADOURO” (na parte inferior). Dentro da circunferência maior, há outra circunferência, onde localizam-se os símbolos da escola – a coroa (em cima) e o desenho de um aperto de mãos interracial (embaixo), entre dois ramos de folhas (um em cada lado). Acima da coroa, há uma estrela. Abaixo da circunferência, próximo à borda inferior da bandeira, está inscrito o ano de confecção da mesma.[6]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.