Super campeã “Yes, Nós Temos Braguinha”

Por – Maurício Fontes |

No ano de 1984, o Carnaval do Rio de Janeiro, ganhou um novo endereço. Foi inaugurada a Passarela do Samba, na Avenida Marquês de Sapucaí, no Centro da Cidade. Nesse ano também as principais escolas de samba foram divididas para realizarem os desfiles em dois dias, com sete escolas por dia.

Os sambistas reivindicavam a construção de um local definitivo para a realização dos desfiles das escolas de samba da cidade e pensando nisso, o Governador da época, Leonel Brizola, juntamente com seu Secretário de Cultura, Darci Ribeiro anunciaram a construção da Passarela do Samba, um projeto idealizado pelo renomado arquiteto Oscar Niemeyer.

Na manhã de terça-feira de carnaval, dia 04 de março, a sétima e última escola do dia entrou na avenida com o enredo mais aclamado do ano. Yes, Nós temos Braguinha, um enredo que fazia homenagem ao ilustre compositor Carlos Alberto Ferreira Braga, o Braguinha e foi idealizado pelo Carnavalesco Max Lopes. Com poucos recursos, ele trabalhou num barracão próximo à Praça Onze que por muito tempo não tinha sequer um teto, tendo que torcer para que não chovesse.

A Estação Primeira de Mangueira encerrou os desfiles de 1984 e ao chegar à Praça da Apoteose, onde deveria acontecer a sua dispersão, a escola deu meia-volta e retornou para a concentração, levando todos os carros e somando mais três horas de apresentação. Conta-se que a meia-volta deu-se porque a escola não tinha dinheiro para contratar pessoas para empurrar seus carros e optou a voltar porque aquele era o caminho mais curto para voltar ao seu antigo barracão.

Com um dos melhores desfiles do dia, a Verde e Rosa foi aclamada pelo público presente na Passarela do Samba e na apuração, não deu outra. A Mangueira ficou com o primeiro lugar dos desfiles de segunda-feira, na frente da Mocidade Independente de Padre Miguel com 208 pontos e na classificação geral ela ficou cinco pontos à frente da Portela, a campeã dos desfiles de Domingo. Essa foi a primeira vez que o regulamento previa uma escola campeã para cada dia de desfile e com isso a Estação Primeira de Mangueira se consagrou a SUPERCAMPEÃ dos desfiles de 1984.

Com um samba composto por Jurandir, Hélio Turco, Comprido, Arroz e Jajá, a Mangueira deu um show na inauguração da Passarela do Samba, tudo isso comandando pelo grande intérprete da escola, o saudoso Jamelão.

É no “Balancê, balancê”
Que eu quero ver balançar
É no balanço que a Mangueira vai passar…

MANGUEIRA, A SUPERCAMPEÃ!!!

Fotos – Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.